The Hunting Ground

País: Estados Unidos da América

Realização e Argumento: Kirby Dick

Ano: 2015

Classificação IMDB: 7,4/10

Sinopse: documentário que denuncia abusos sexuais sofridos por estudantes em Universidades Norte-Americanas.

Disponível em Netflix Portugal


Adianto já que não é um documentário fácil de digerir.
Apesar da narrativa fluída a temática de  The Hunting Ground é pesada.

O documentário começa com o anúncio de que as estudantes foram aceites na Universidade.
Enquanto choram e gritam de felicidade, os pais não escondem o orgulho de mandar as suas filhas para algumas das melhores universidades do mundo. Harvard, Yale, Brown, Stanford, entre outras, fazem parte do futuro dessas jovens.

Porém, aos 5 minutos de filme, tudo muda e são mostrados relatos de vítimas que sofreram abuso sexual antes mesmo das aulas começarem.

Num dos relatos, foi questionado à aluna o motivo de não conseguir gritar por ajuda no momento do ataque, ao que a mesma responde:
“Quando se está apavorado e não se sabe o que nos vai acontecer, simplesmente esperamos não morrer… e era isso que passava pela minha cabeça”.

MAIS DE 16% DAS ESTUDANTES SOFRERAM ABUSO SEXUAL NAS UNIVERSIDADES AMERICANAS

Com diversos depoimentos de vítimas, na grande maioria mulheres, o documentário mostra o quão difícil é lidar com esta questão sob vários prismas: o acto em si, o dia seguinte, o contar aos pais e até o convívio com o próprio atacante (que muitas vezes era alguém do núcleo da vítima).

Duas sobreviventes decidiram juntar-se e estudar as questões jurídicas que envolvem os casos de violação nos campus das universidades.
O fio condutor da história é contado pela evolução do amparo fornecido por estas estudantes e a amplitude que elas conseguem atingir.

Uma das revelações mais aterradoras é que as próprias Instituições preferem encobrir os factos para evitar problemas judiciais e financeiros, por forma a não mancharem a sua reputação. Há, segundo o documentário, orientações explícitas para que a polícia do campus abafe estes casos.

EM 2012 45% DAS UNIVERSIDADES NÃO RELATARAM NENHUM CASO DE ABUSO SEXUAL NOS RESPECTIVOS CAMPUS

Ainda sobre a postura das administrações superiores das Universidades, é evidenciado que as expulsões de alunos que agrediram sexualmente colegas em território da instituição, é quase nulo.
Não é política da Universidade punir estudantes por esta questão, apesar de haver muitos casos de expulsões por outros motivos disciplinares, muito mais brandos quando comparados aos abusos sexuais.

APENAS DE 2% A 8% DAS DENÚNCIAS SÃO FALSAS

É claro que podem haver pessoas que por vingança, ou seja lá qual o motivo, apontam o dedo a outra com o intuito de a prejudicar. Isto há gente para tudo, não é novidade.
É necessário que seja aplicada a devida investigação em todos os casos.
Mas os números recolhidos por estas alunas demonstram que a falsa denúncia é algo bastante raro, e as autoridades deveriam dar mais atenção a todos os casos!
Na minha opinião, mais vale haver investigação competente e dedicação em todos os casos e serem todos mentira, do que deixar escapar pelo menos um caso verdadeiro.

88% DAS VÍTIMAS DECIDIRAM NÃO APRESENTAR QUEIXA

As pessoas que deveriam orientar as vítimas de abuso sexual, muitas vezes acabam agir de um forma monstruosa: A culpabilização da vítima!
Perguntam se elas não estavam bêbadas ou com roupa provocadora, se elas disseram não, e quantas vezes o disseram, ou ainda se se esforçaram para fechar as pernas (!!!!). Este constrangimento pode ser um dos factores que inibem a voz de quem foi molestado.

CERCA DE 8% DOS HOMENS SÃO RESPONSÁVEIS POR 90% DOS ATAQUES.

Este dado demonstra que a tendência é que quem comete esta atrocidade o faz mais de uma vez. E que culpar toda a população masculina não é o melhor caminho.
Aliás, o documentário deixa claro que existem abusos sexuais contra homens, mas que são números tão irrisórios (os homens não apresentam queixa, por norma) que se torna difícil saber a real extensão do problema.

AS FRATERNIDADES SÃO RESPONSÁVEIS POR 60% DAS DOAÇÕES MONETÁRIAS ÀS UNIVERSIDADES

Parte do interesse das Universidades em encobrir o acontecimento, dá-se para não vincular a imagem da Instituição a um local onde ocorre violência sexual.
Além desse factor, parte dos ataques ocorrem nas fraternidades.
São estas mesmas fraternidades que, praticamente, sustentam as Universidades com doações e disponibilizam uma área residencial para os alunos.

E se o caso envolver um aluno-atleta a denúncia é ainda mais complicada (existe um grande sentimento de protecção para com os alunos que praticam desporto – tratam-se de alunos com benefícios acima da média, uma vez que são responsáveis por “dar” mais notoriedade à Universidade em questão, através dos seus feitos na área do desporto). Vergonhoso! A vítima é sempre responsabilizada pelo acto!

A banda sonora deste documentário, conta com um tema de Lady Gaga, nomeado para um Oscar de melhor banda sonora, em 2015, perdendo para Sam Smith com o tema “Writing’s on the wall” do filme 007 – Spectrum.

Todavia, a mensagem do documentário “The Hunting Ground” ficará marcada pela impactante letra do tema de Gaga “‘Til it happens to you” (“Até que te aconteça a ti”
Os lucros serão revertidos para ajudar as vítimas de abusos sexuais.

_Lilly_

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s